27.12.05

Show de Fim de Ano

22.12.05

Exército da Salvação

- Coronel! Coronel! Os cabra do cangaço tão aí! Os cabra do cangaço tão aí! É o fim do mundo! É o fim do mundo!
- Fim do mundo! Fim do mundo!!! Você tá é doido! Você acha que é um jagunço caolho que vai invadir meu pedacin de terra! Eu sou é cabra-homi! Eu sou é cabra-home!!!

"Lá vem o exército da salvação
Pula muleque, tira o pé do chão
Pedindo licença, batendo com a mão
Pula muleque, tira o pé do chão"

14.12.05

Lua Cheia Triste

Amanhã é mais um dia de branco. Pois que me movo até a varanda com um cigarro apagado na mão esquerda junto a uma pequena caixa de fósforos e acendo o nicotinoso. Penso nas coisas do dia, penso nela e em outras coisas mais, vou colocando a memória em ordem enquanto relaxo para cair em mais uma noite curta de sono, olho para o céu e fico feliz ao ver que é noite de lua cheia e eu nem ainda havia percebido, penso mais uma vez nela e percebo que a lua está triste. Não, não sou eu que estou para baixo e imagino isto, é a lua, definitivamente, com dois olhos, uma boca curvada ao canto inferior e um resto de sombra, parecendo os pêlos que se localizam abaixo dos lábios dos seres humanos masculinos. Definitivamente, eu repito, a lua cheia está triste e eu nem sei o motivo. Se dúvida, olha para o céu e confirme. É verdade.

NFS MW

Algumas pessoas gostam de jogos, eu sou uma delas. Pena que o fantástico mundo dos jogos eletrônicos têm evoluídos mais rapido que minha capacidade financeira de acompanhamento. Mas não me dou por vencido e continuo vivenciado aventuras cada vez mais reais e divertidas.

Semanas atrás voltei a me deliciar com Half Life 2, encorporando o Dr. Gordon em mais uma aventura da seria de Blackmesa, pena que o coitado é mudo, mas os monólogos dos outros personagens são bem divertidos e os gráficos cada vez mais realistas, com uma física surpreendente sobre os objetos do jogo. Mas como eu ia dizendo, estava eu por debaixo de uma imensa e muita alta ponte, tetando desligar um campo de força que bloqueava minha passagem com meu carro feito de materiais de ferro velho, quando ao chegar no meio da estrura férrea, deparei com um combate excitante com um helícoptero e alguns soldados "do mal", tudo isso tendo que me equilibrar em 1ª Pessoa pelas vigas da metálica estrada contígua, toda vez que eu olhava para o chão (no caso, o mar, ou melhor, o mar lá no fundo, bem longe mesmo) meu coração subia ao pescoço e eu tendo que alternar entre um lança mísseis e metralhadoras e pistolas e armas gravitacionais para as vigas. Sei que após uns 15 ou 20 minutos de combate minhas pernas tremiam, falo de minhas pernas, essas sentadas na cadeira onde vos escrevo neste momento, nunca senti tanto medo e adrenalina jogando um jogo, nem mesmo jogando as famosas series de terror e sobrevivência com Resident Evil ou Silent Hill à meia-noite.

Deixando estes um pouco de lado, agora jogo Prince of Persia, pulando entre a cidade do príncipe mal, a cópia do mim. E corro pelas ruas de Rockport com meus carros super "tunados" atrás do pilantra do Razor que me roubou um BMW na pilantragem. E nessa de procurá-lo com a ajuda da apostadora de boutique Mia (por sinal, muita gatinha, a mesma que fez O Aviador) fui ganhando os documentos de alguns carrinhos bem legais, o qual o último que me apossei e modifiquei foi o brinquedinho baixo...



12.12.05

Das Idéias Estapafúrdias...

que devo lembrar enquanto bêbado
ou
Idéia Escrota da Semana

Encontrar um tatudor(a), e estampar a seguinte frase no meu pinto:
"EU SOU O CAMINHO, A VERDADE E A VIDA"

10.12.05

LUTO!

Estamos de LUTO, pela MORTE precipitada de nosso passarinho Canário.

Isso pode e deve ser considerado um protesto.

http://casadagua.blogspot.com/

COMO EU VOU TE LER, FILHO DA PUTA?

8.12.05

Hermeto na UOL



Siga a figura e confira entrevista legal com Hermeto Pascoal.

2.12.05

Os Verbos

Não subjuguem os versos, talvez já tenha nascido conjugados.

1.12.05

Inconsistente

Corre que a lentidão do vento vem trazendo o prazeroso desejo de uma nova vida. As rochas salpicam aos montes, aos lados das montanhas geladas dos ecos sortidos, soprados na imensidão do tempo. Faz dias que a foz do mundo resolveu desalinhar o desenho do sonho inocente na inconsciência da ciência dos seres. Olha para o relógio do universo e vê se enxerga o que o mar de rosas claras bradou em tão majestodo silencio. Portanto que o tanto do tudo não permta que partam agora, estarão a esperar com suas luvas cor-de-prata e objetos em forma de discos, cheios de indivíduos e luzes na esquina da morte.