25.8.04

Carta de Suicídio

Eu fico triste porque o senhor sabe me cobrar estudo, sabe perguntar como vai o cursinho, sabe fazer essas coisas todas relacionadas a trabalho e a estudo, mas nunca soube perguntar como são meus sentimentos, como são minhas músicas. Acho que o senhor nem sabe que eu sou poeta, que eu escrevo desde... desde quando eu nem me lembro.

Vocês não sabem porque eu fico trancafiado dentro do meu quarto, vocês não sabem se eu não estou estudando, o que vocês sabem sobre minha vida finalmente? Vocês não sabem que eu sou respeitado por pessoas inteligentíssimas. Que artistas e profissionais que eu convivo e que já convivi dizem que sou bom, que eu tenho futuro, que eu tenho caráter e uma porção de outras coisas.

Vocês não sabem porque não gosto de ir pro sítio, porque faço de tudo pra não me envolver com meus familiares, porque não dou valor à palavra "família", não a minha.
Pois então fiquem vocês sabendo que uma das memórias mais antiga que tenho é de quando eu acordei e o quarto de vocês estava todo revirado e aquilo nunca saiu da minha cabeça. Não lembro de vocês dormirem juntos, na mesma cama. Eu lembro bem das traições que eu presenciei, eu sei de coisas sobre vocês que vocês nem imaginam, dessas coisas eu lembro, porque elas marcam, elas ficam e dói muito, até hoje. E vocês diziam que não se separavam por causa da gente. Por minha causa mesmo não, eu sempre fui a favor da separação. Acho que o único inteligente era eu, por causa de minha inocência de que as coisas não precisavam ser complicadas. Eu era criança e sempre fui cabeça feita e não foi com vocês que eu aprendi não, aprendi sozinho, comigo mesmo, com um senso de justiça que eu tinha dentro de mim, que eu nem sei mais se existe.

Hoje não me abro mais com ela por causa do alcoolismo, outro trauma que eu tenho que enfrentar desde a infância, sozinho. Eu tinha que dormir com o som as alturas para não ouvir as brigas e as baboseiras que saiam daquela boca e vocês achando que eu era anormal, por escutar rock nas alturas. Por ser rockista como o senhor fala. Foi o rock que me ensinou muita coisa. Eu não conseguia estudar de noite para as provas do outro dia e passava a noite toda chorando por causa disso. Toda noite que acontecia, eu jurava pra mim mesmo que seria feliz, que um dia EU seria feliz. Hoje em dia não sabe o que fez de errado, não sabe porque não dou mais um bom dia, ou um boa noite. Porque eu cansei, essa é a resposta. Cansei de ser idiota, cansei de fazer sempre o certo, cansei de dar orgulho.

Eu sempre dei orgulho, pelo menos eu dava motivo, se tinham orgulho eu não sei. Enquanto minha irmã gastava o dinheiro dos livros do cursinho pra comprar calças de marca, eu tirava 10, 8, 9... 10, 8, 9... sempre fui de me dar bem nas matérias. Mas quando chegou a época de fazer prova pro CEFET todo mundo dizia que eu só queria vadiar, que eu não estava estudando e eu calei a boca de tudinho, ficando entre os melhores colocados. Não passei na UFAL porque eu não queria fazer UFAL e acho que era o direito meu, mas vocês tinha que fazer pressão, todo pai tem que fazer pressão em cima do filho, ao invés de estar com eles, o senhor tentava me manipular, quando eu dizia que queria um curso, o senhor me fazia desistir, eu escolhia outro e o senhor tentava fazer eu desistir, com um papo super amigável. Só que eu não sou idiota.

Eu me tranco dentro do meu quarto pra viver dentro do meu mundo, do mundo que eu quis criar pra mim e vocês não me apoiaram, porque as coisas tem que ser do jeito que vocês querem e vocês não tem capacidade de olhar pra mim e perguntarem se eu estou realmente feliz no que estou fazendo. Eu só queria ver a cara do senhor se um dia eu dissesse que queria ser músico. E a outra quando está biritada ainda diz que é uma psicóloga formada. Ainda mais chato é quando ela ouvi minha música, totalmente ébria e diz: "tá vendo, eu sempre apoiei você". Mentira deslavada.

Mas mesmo assim, eu respeito muito o senhor, porque eu sempre soube que o senhor tem um ótimo senso de justiça, porque eu não lembro do senhor ter levantado a mão pra mim, porque quando eu errava o senhor me apoiava e dizia pra mim não fazer mais. Porque eu ouvir o senhor dizer que eu sei voltar atrás quando vejo que fiz merda, que sei admitir. Eu admiro o senhor por ter agüentado ela por tanto tempo, porque eu mesmo não agüento. Só que eu sei que você não é nenhum super herói e está muito longe disso. Obrigado por ter me patrocinado todos esses anos. Eu amo muito vocês dois. E o negócio que o senhor deveria ter colocado pra frente, era mesmo o de geradores, aquilo ia te fazer ter muito dinheiro. Mas ela não te apoiou.

Só gostaria que vocês entendessem que eu não sou frio, muito pelo contrário. O que eu tenho são muitas mágoas, mas vocês nunca souberam entender isso. Eu não fiz nada de errado, eu só cansei de fazer tudo certo. Deus os abençoem.

24.8.04

CHECA O TEU GMAIL. TEM PRESENTE LÁ!

REFERENTE AO TEU ULTIMO POST.

Porque o de usar copos diferentes, se bebemos da mesma água?

Amigo Gordo

Estou precisando adquirir umas mp3s de uns sons que com certeza, eu sei que você os possuiu, sendo assim peço encarecidamente que monte logo um servidor ftp em sua máquina, para que eu possa desfrutar das mais variadas culturas e não ficar preso a somente minhas idéias vagas e sem sentido.

Obrigado.

P.S.: Preciso muito ouvir Chico Buarque.

21.8.04


Eu e o Jr. na antiga casa do gordo, diga aí?!

20.8.04

aprendi com minhas idas e vindas de casa que simplesmente, temos que deixar rolar, somente isso, deixar rolar

tem que deixar as coisas acontecerem, ir junto com a maré, não adiante ir contra ela, e também não adianta ir mais rápido do que ela, tem que ser junto com ela... se é que dá pra entender...

é sério, tem que escolher a maré e ir com calma, remando junto com ela, em sintonia, em harmônia, em ressonância

um comment a uma pessoa que considero muito

vai na fé!!!

19.8.04

Olha o que eu achei ali no passado...

" Querido Papai Noel,
Deves achar estranho, que te escreva hoje dia 26 de Dezembro, mas quero esclarecer algumas coisas que me ocorreram desde que te enviei uma carta cheia de ilusões na qual te pedia que trouxesses, uma bicicleta, uma guitarra elétrica, um Playstation 2 e um par de patins. Quero dizer-te que me matei a estudar durante todo o ano, tanto que, não só fui dos primeiros da minha turma, mas também tirei 10 em todas as disciplinas e não te estou a te enganar. Ninguém se portou melhor do que eu, nem com os pais, nem com os irmãos, nem com os amigos, nem com os vizinhos. Fiz favores sem cobrar, ajudei velhinhos a atravessar a rua e não houve nada que eu não fizesse pelos meus semelhantes e mesmo assim... cagasse na lata... ó Papai Noel. É que... olha que deixar debaixo da Árvore de Natal, uma bosta de um pião, uma merda de uma corneta e um caralho de um par de meias... foda-se... quem pensas que és ó barrigudo do caralho? Ou seja, porto-me que nem um camelo a merda do ano inteiro para que venhas com essa merda de prendas e como se não bastasse, o paneleiro do filho da vizinha, esse otário estúpido pra caralho, que grita com a vaca da mãe e é um pandemónio lá em casa, mesmo assim tu deste-lhe tudo o que ele te pediu. Agora quero que tu te fodas e que venha um caralho de um terremoto para engulir a todos, porque um Papai Noel incompetente como tu não faz falta a ninguém. Mas não deixes de regressar no ano que vem, porque vou arrebentar à pedrada as putas das tuas renas e hás-de vir bater com os cornos cá embaixo, que eu ei de te foder.Vou começar com essa tua rena Rudolph, que tem nome de paneleiro e hás-de andar a pé, já que a merda da bicicleta que te pedi, era para ir para a escola, que é longe pra caralho. Ah!!!... É verdade... não me quero despedir, sem te mandar para a puta que te pariu e é pena seres tão filho da puta. Por isso aviso-te que para o ano vais saber o que é bom para a tosse! Vou foder o juízo de todos durante todo ano.
P.S.: Quando quiseres podes vir buscar o pião, a corneta e as meias, mas acorda-me para eu te enfiar essas merdas todas pelo cu acima.
Ass: Damião
5 Ø 11:40 AM Quinta-feira, Dezembro 12, 2002 "


Só para deixar saudades... Posted by Hello

18.8.04

Improviso Involuntário

E vê você chegando assim
Logo nesse momento tão confuso
Faz-me querer ter ainda mais coragem
Como se eu tivesse a certeza
De que poderia me apoiar em teu ser

Mas longe disso
Continuo rodopiando
Sem saber ao certo
Se devo seguir
Essa minha certeza incontestável

E assim vou fingindo
De paradoxo em paradoxo
E ela me pede para não chorar
Mesmo sabendo que posso impludir

Então não posso cobrar
Então não posso fugir
Tenho que parecer forte
Logo eu, froxo que sou
Tenho que permanecer forte
Aos olhos de alguém

17.8.04

Júlia deitou-se de lado e não mais quis acordar. Estava sofrendo por ter um caráter egoísta e por nunca saber o que realmente é certo. Gostaria de não ter culpa, mas tem e ela sabe bem disso. Fica imaginando o quão desejou o cara ideal e quando conseguiu, descobriu que ele não existe, ou melhor, eles não existem. Mas o que foi preciso, seu "príncipe encantado" fez e não fez só por fazer, fez com amor, fez por saber que era certo, fez para satisfazer-se e para satisfazê-la.

E depois de tudo isso e de tanto tempo passado, ela não acredita que amanhã será o seu fim, mas ela sabe que sim. Imagina das mil e umas maneiras possíveis, como e quão trágico será o triste desfecho de uma história mais ou menos linda. Faz teatros e mais teatros com somente os dois únicos personagens que realmente importam num momento tão simplório, por ser tão controverso.

No relógio bate a meia-noite, como clichê dos poetas infelizes por quererem ser para sempre poetas. As lágrimas já não descem como a uma hora e meia atrás, assim como soluços e sussuros. Não existe momento de mais fé no ser humano do que quando se está deitado no canto da cama com o rosto encostado na parede e é neste mesmo momento que o ser humano se odeia, por não receber nunca o troco desta mesma fé. Com Júlia não é diferente.

O que fazer quando a única saída que temos está lacrada? O que fazer quando percebemos que tudo o que nós mais queríamos está acontecendo, mas nós não queremos ser mais nós mesmos? Sim, esses são seus pensamentos, esses e outrso trilhares do mesmo gênero. Acabou, a verdade é essa. Não somos idiotas, imbecis ou cegos. Não somos burros. Na verdade, somos o que somos por assim querermos ser.

16.8.04

Ao Som do Raggae

Vai fluir
Deixa fluir
Que cheiro é esse que vem lá?

E vem de branco e vem de lá...
E vem de branco e vem de lágrima...
De cinzas nos olhos

Às tantas da manhã
Só as espumas das ondas
E o ébrio que nos deixa sóbrio

Veículos passeam ao som do raggae
Todos felizes a balançar
As vidas não param de voltar
Às suas próprias vidas
De lá para cá
No movimento e ao som do raggae
Um a um

10.8.04

Infantil

Não
Não me sinto seguro
Nem vou ficar parado em meio ao vento
Não que eu não me lembre da época de ventre
Eu me lembro
Assim como não lembro de nossa solidão
Humana solidão

Faícas de fiascos contados em público
Medo de crescer, de vencer e ser alguém
E essa infância que insiste em nunca mais voltar:
- Foi-se embora com o vento?
- Foi-se embora com o ventre!

9.8.04

Mulher Barbada

Não quero mais
Não vou voltar a escrever no escuro
Forçando os dentes
Prendendo as lágrimas
Rabiscando garranchos
Arranca essa dor do meu peito
Senão eu sou capaz de chorar

Num cruzeiro lindo
Deiatarei e sonharei
Os sonhos mais doces
E só quando você me perder
Vai lembrar de todas as providências
E também irá se sentir no escuro

7.8.04

Em preparação, psicologica, de aceitação e financeira para a futura maior empreitada.

http://www.alberguedajuventude.com.br


1...2...3

ao planos e estratégias.

5.8.04

No ápice das inquietações das nações presentes em meu espírito sub-desenvolvido...

Fiquei sabendo hoje de uma nova droga (remédio) que está para ser lançada, a PT180, ela injeta no organismo da pessoa um toxina responsável pela estimulação do orgasmo, ou seja, o(a) indivíduo(a) que tomá-la vai gozar mais e mais rápido. A droga será vendida em Spray. Legal né? Imagine isso no carnaval de Olinda!

1.8.04

CheiraCola Utilidadez

Clique Aqui e Teste a Sua Velocidade